Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Gentil Lidera Resultado de Enquete

Em enquete realizada com estudantes, logo após o encerramento do debate ocorrido na Funcec na última terça-feira, 25, Gentil Bicalho lidera a intenção de votos, com 67% da preferência dos universitários daquela instituição de Ensino Superior. Conceição Winter aparece em segundo, com 25% da intenção de voto e o ausente Teófilo Torres aparece em último com 7%.
O resultado da presente enquete não se trata de pesquisa eleitoral, prevista no art. 33 da Lei nº 9.504/97, e sim de mero levantamento de opiniões, sem controle de amostra, o qual não utiliza método científico para a sua realização, dependendo, apenas, da participação espontânea do interessado.

Teófilo não Participa de Debate na Funcec

Na noite da última terça-feira, 25, a Funcec realizou seu tradicional debate entre os candidatos a prefeito de João Monlevade.
Participaram do evento a candidata Conceição Winter, da coligação “Monlevade em Primeiro Lugar” e o candidato Gentil Bicalho, da coligação “Por Respeito a Monlevade”.
O jovem candidato Teófilo Torres, da coligação “Avança Monlevade”, não compareceu ao evento, esquivando-se de se submeter ao debate de idéias e de propostas para o Município de João Monlevade.
Para os estudantes de Direito, que pretendiam ouvir do candidato ausente as explicações sobre seu envolvimento no Escândalo de Nova, restaram a indignação e o sentimento frustração.
Os candidatos presentes tiveram a oportunidade de confrontar suas propostas para o Município, diante do crivo crítico de uma platéia composta por eleitores conscientes.
O candidato Gentil Bicalho foi aplaudido de pé ao declarar que “o futuro prefeito está aqui sentado à frente de vocês, porque aquele que não comparece a um debate e não participa da troca de idéias não merece ser prefeito de uma cidade do tamanho de Monlevade que tem uma forte ligação com os movimentos sociais.”

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ataques Pessoais?


Até o momento, o jovem candidato Teófilo Torres não apresentou prova alguma de sua inocência em relação ao Escândalo de Nova Serrana. E seus correligionários se limitam a argumentar que o candidato tucano tem sido alvo de ataques pessoais.
No entanto, ao contrário do que, falaciosamente, alegam seus defensores, as graves denúncias de superfaturamento e de contratação fantasma que pesam sobre o candidato tucano não caracterizam, de forma alguma, ataque contra a pessoa de Teófilo. Ninguém está dizendo que Teófilo é feio, bobo ou chato.
O que se questiona em relação às denúncias de Nova Serrana é a maneira duvidosa com a qual Teófilo Torres se relacionou com a coisa pública, quando lhe foi oportuno, pois o mesmo é aspirante à cargo público-eletivo.
O que se deve extrair do episódio de Nova Serrana é a forma com que o jovem candidato tratou o erário, quando teve a oportunidade, eis que se encontra em discussão não um contrato entre particulares, mas sim um contrato administrativo entre o candidato a prefeito de João Monlevade, ou seja, uma figura pública,  e o Município de Nova Serrana, ou seja, a própria coisa pública.
Em síntese: é o histórico da relação de Teófilo, enquanto contratado da Administração Pública, com o dinheiro público.  
Nesta situação, se existe alguém que ataca Teófilo este alguém é a própria realidade.    

Protesto Contra Anastasia na Praça Sete (Vídeo)


terça-feira, 25 de setembro de 2012

Anastasia é enxotado da Praça Sete












O governador de Minas Gerais, Antônio Anatasia, esteve, ontem, em João Monlevade, onde pretendia participar de um comício promovido pela  coordenação de campanha do jovem candidato Teófilo Torres.  
No entanto, do alto do palanque montado em plena Praça Sete no centro da cidade, o governador assistiu atônito o evento político se transmutar para uma grande manifestação em repúdio à sua presença em João Monlevade.
Professores, estudantes, integrantes do grupo “Transparência Monlevade”(Facebook) e populares ocuparam a Praça Sete, empunhado bandeiras, faixas e cartazes de protesto contra a presença do governador e a política de baixos salários e investimentos no setor da educação pública, verificada nos últimos anos em que tem estado à frente do comando do estado.
Em meio à entonação de palavras de ordem e ao grande apitaço promovido pelos manifestantes, o radialista Carlos Moreira gritava, desesperadamente, ao microfone, tentando, em vão, fazer-se sobrepor ao alvoroço que se formou.        
Visivelmente, embaraçado com a situação, o governador de Minas, depois de pronunciar parcas palavras, foi rapidamente encaminhado para sua condução, que deixou o local em disparada, diante dos protestos que se avolumavam.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Mensalão: Na Polícia Federal, Danilo de Castro joga Mauri Torres às Cobras





O chamado Mensalão é, sem duvida, o mais execrável escândalo de corrupção até então descoberto neste país.
E vejam só: aqui em João Monlevade existe apenas uma figura política, comprovadamente, envolvida neste escandaloso esquema de maracutaias e malversação do dinheiro público e o nome dele é Mauri Torres, o pai do candidato Teófilo Torres. O mesmo pai, que o próprio Teófilo declarou ter intermediado sua contratação, sem licitação e a preço superfaturado para um serviço que nunca foi prestado ao Município de Nova Serrana.
O Monlewood de hoje traz com exclusividade o depoimento de Danilo de Castro à Pólícia Federal, no inquérito de n° 2280/140, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal, que investiga a vertente mineira do escândalo do Mensalão, também conhecida como Valerioduto Mineiro ou Mensalão Tucano.
Em depoimento à Polícia Federal, Danilo de Castro confessa que foi avalista de um cheque do Banco Rural no valor de 1 milhão de reais (valor atualizado) para a empresa SMP&B de Marcos Valério à pedido do ex-deputado Mauri Torres.
O documento também cita um apartamento que teria sido adquirido pelo ex-deputado Mauri Torres no período em que houve a contratação do empréstimo bancário entre a SMP&B de Marcos Valério junto ao Banco Rural, além de várias outras coisas. Vale a pena conferir (clique nas imagens para dimensioná-las à leitura).

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Prandini: 101 Dias

A edição de hoje do Jornal A Notícia anuncia a contagem regressiva para o tão esperado fim da meteórica era prandinista. Faltam exatos 101 dias para o prefeito Gustavo Prandini encerrar seu destrutivo e catastrófico mandato, à frente do Poder Executivo de João Monlevade.
Muita calma nessa hora! O eleitor monlevadense deve estar ciente de que o risco da continuidade prandinista existe. É que a candidata Conceição Winter tem o apoio formal do Partido Verde de
Gustavo Prandini e, caso a mesma seja eleita, o atual prefeito não deixará a Prefeitura como todos esperam. Ele assumirá o cargo de procurador do Município ou de secretário do meio ambiente. Como eu disse, muita calma nessa hora!



Desistência de Teófilo

O que mais se comenta pela cidade é que depois de ser descoberto como funcionário fantasma (ou o equivalente) na prefeitura de Nova Serrana, o jovem candidato Teófilo Torres estaria sofrendo pressão da família para desistir de sua candidatura.

Investimento Bilionário do Governo Dilma Reascende a Esperança de Duplicação da Usina de Monlevade


O Programa de Concessão de Rodovias e Ferrovias, recentemente, anunciado pelo Governo Dilma e prevendo um investimento da ordem de 133 bilhoes de reais em infra-estrutura anima o mercado siderúrgico e faz com que a ArcelorMittal re-avalie a retomada do processo de duplicação da capacidade produtiva da Usina de Monlevade, interrompido no ano passado.
“Em dois meses, no máximo, o comando do grupo, em Londres, liderado por Lakshmi Mittal, vai tomar a definição sobre o projeto, que é importante para mantermos nossa participação no mercado Brasileiro”, disse Jefferson de Paula, principal executivo do grupo no negócio de aços longos nas Américas.Segundo o executivo, a previsão de demanda para esse tipo de aço é de crescimento de 6% neste ano e o mesmo índice no próximo ano. A demanda vem da construção imobiliária e do pacote de infra-estrutura anunciado pelo governo federal, além daquelas ligadas aos eventos da Copa do Mundo e das Olimpíadas.
De Paula informou que o projeto de duplicação de Monlevade já está com obras civis prontas e todo o pacote de equipamentos comprados. “Já investimos US$ 700 milhões até a paralisação. Temos mais US$ 800 milhões a serem aplicados para completar a obra”, informou. A finalização vai demandar um ano e meio.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

DOE Comprova Prorrogação de Contrato de Teófilo Torres com o Município de Nova Serrana


A edição de 21 de janeiro de 2012 do Diário Oficial do Estado de Minas Gerais (documento acima) torna pública a prorrogação do contrato de prestação de serviços advocatícios celebrado entre o prefeito de Nova Serrana, Paulo César Freitas, e o candidato Teófilo Torres. Segundo consta no DOE, o contrato realizado, sem licitação, foi prorrogado até 31/12/2012, ao preço de R$ 5.000,00 mensais. Significa dizer que, para fins de direito,  a aludida contratação  se encontra vigente.
Teófilo Torres, que já declarou que foi contratado por intermédio do pai, o ex-deputado Mauri Torres,  é acusado  de ser funcionário fantasma ou o equivalente no Município de Nova Serrana.
Investigações realizadas pela imprensa nova-serranense (vejaneste link) apontam que Teófilo nunca prestou os serviços contratados.
Apurações mais detalhadas indicam que a casa mantida na capital de Minas pelo Município de Nova Serrana, onde Teófilo alega ter ficado à disposição da Prefeitura no intuito de prestar o serviço contratado, trata-se na verdade de um ponto de apoio para receber, exclusivamente, pacientes que se deslocam para Belo Horizonte em busca de tratamento de saúde.          

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Fantasma


Na tentativa de se explicar diante das graves acusações de que seria funcionário fantasma ou o equivalente no Município de Nova Serrana, o jovem candidato tucano, Teófilo Torres, vai se complicando ainda mais.   
Para justificar a ausência de licitação na contratação junto ao Município de Nova Serrana, o jovem Teófilo deixa claro que a mesma ocorreu sob influencia do pai, o ex-deputado Mauri Torres:    

“Estreitei minha relação com o prefeito de Nova Serrana, Paulo César, quando o mesmo exercia mandato parlamentar na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Na ocasião ele era deputado junto com meu pai e muito conhecido da minha família. Ele gostou muito do meu serviço e me contratou.” Fonte

Teófilo foi advogado da Assembléia? Que tipo de serviço ele prestou na Assembléia? Qual foi o serviço que Teófilo diz ter gostado o prefeito de Nova Serrana? O fato de o prefeito de Nova Serrana ser muito conhecido “da família” não sugeriria algo ainda mais pernicioso à lisura da contratação?  Na administração pública, nada é de boca. Tudo deve ser documentado. Onde estão os documentos que comprovam as alegações do jovem candidato?  

Banco


Tem gente querendo confundir o eleitorado. Instituição financeira envolvida no escândalo do Mensalão é o Banco Rural. Contra o BMG não se apurou nenhuma participação na vertente mineira do Mensalão, também conhecida como Mensalão Tucano ou Valérioduto Tucano. Tem avalista de crédito junto ao Banco Rural para a empresa SMP&B de Marcos Valério que pode dizer isso melhor do que ninguém.

Continua...  

CTI

O CTI do Hospital Margarida acaba de completar um ano de funcionamento, alcançando a marca de 447 atendimentos.
O problema é que os idealizadores do atual CTI não trataram de garantir uma fonte de custeio perene para o mesmo, que, a partir do próximo ano não contará mais com recursos do endividado governo de Minas para se manter.
Assim, toda a dificuldade que se verifica, hoje, na urgência e na emergência do Hospital Margarida, certamente, se estenderá também ao CTI, que poderá até ser fechado, assim como se cogita em relação a outros setores daquela Casa de Saúde.
Especialistas apontam que a construção de estruturas físicas desacompanhadas das respectivas fontes de custeio configura um dos principais fatores de desperdício de dinheiro público. São os chamados elefantes brancos.    
    

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Jornal O Popular: Advogado que Disputa o Cargo de Prefeito em João Monlevade é Contratado pela Prefeitura de Nova Serrana com um Salário de R$5.000, Mas Nunca Trabalhou na Cidade

Caro leitor, o Monlewood ,  reproduz, hoje, matéria veiculada pela edição de número 477 do Jornal O Popular do Município de Nova Serrana/MG.


Denúncia contra a prefeitura de Nova Serrana envolve superfaturamento e funcionário fantasma.

Um documento já em posse do Ministério Público, Justiça Eleitoral, Procuradoria Eleitoral e órgãos de imprensa apresenta uma denúncia contra o atual prefeito e candidato à reeleição em Nova Serrana. Paulo Cesar de Freitas teria contratado Teófilo Faustino Miranda Torres Duarte sem licitação, por salário de R$5.000 mensais.
O advogado nunca representou ação em Nova Serrana e mora há mais de 300 km da capital mineira do calçado. O contrato com duração até 2011 teria sido renovado até final de 2012 e o funcionário fantasma estaria recebendo salário ao mesmo tempo em que concorre à prefeitura de João Monlevade, cidade em que mora.
Na cópia do documento recebida pelo jornal O Popular afirma ainda que por meio do processo de inexigibilidade 006/2010 o prefeito de Nova Serrana contratou o advogado Teófilo Torres ao valor de 5 mil reais mensais para defender interesses do município. Ao final do contrato, Torres embolsaria a quantia de R$ 180 mil reais. A contratação ocorreu sem licitação sob a justificativa de notório saber jurídico, caso aceitável quando se pretende contratar profissionais de grande renome como mestres e doutores em direito público, autores de livros e professores universitários.
A discrepância não ocorre somente em relação à titulação, o salário médio cobrado por juristas renomados varia entre R$2 mil a R$4 mil reais, valor abaixo do que estaria recebendo Torres.
Teófilo Torres é advogado, inscrito sob o número de ordem 93512. Graduou-se no Instituto de Ensino Superior de João Monlevade em 2001 e não possui nenhum tipo de especialização. Torres é filho do ex-presidente da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, Maurí Torres, envolvido no esquema do mensalão de Minas e hoje, Conselheiro do Tribunal de Contas.
Teófilo é pago pela prefeitura de Nova Serrana como advogado que prestas serviços de representação jurídica em Belo Horizonte. Entretanto, o advogado não reside nem em Nova Serrana, nem em Belo Horizonte e sim em João Monlevade, onde disputa as eleições majoritárias.
No dia 29/01/2011 foi publicado no Diário Oficial de Minas Gerais a renovação contratual do advogado pela prefeitura de Nova Serrana sob o salário de R$ 5.000.
Uma pesquisa feita no site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais constatou que Torres nunca representou uma ação sequer em favor do município de Nova Serrana. Para agravar a lesão ao erário público, o dinheiro pago a Torres estaria financiando sua campanha na cidade de João Monlevade, na qual concorre para o cargo de prefeito pelo PSDB na coligação Avança Monlevade como consta no sistema DivulgaCand no site do TSE. Entre os agravantes contra o candidato em Monlevade, ainda consta do documento que Teófilo não estaria executando o serviço para o qual foi contratado e nem comparece à prefeitura de Nova Serrana, tornando-se assim um advogado fantasma.
[...] Desta maneira o município de Nova Serrana vem sendo patrocinador não somente dos interesses pessoais do atual prefeito, que ignora a Lei de Licitações não permitindo a competição no certame e superfaturamento nos preços, como também paga a um profissional por um serviço que não vem sendo prestado, de modo a patrocinar a candidatura do advogado contratado Teófilo Torres, filho do amigo pessoal do prefeito Paulo Cesar, o ex-deputado MauriTorres [...], finaliza o documento.
Precedentes Denúncias de contratação ilícita de funcionários pelo atual prefeito de Nova Serrana, Paulo Cesar, tem antecedentes na Assembléia Legislativa quando o mesmo ocupava o cargo de deputado estadual pelo PDT e presidente mineiro do partido. O então deputado colocou a esposa Grazyella Pereira Cavalcanti em um cargo comissionado na Assembleia com um salário de R$5.311,93 para exercer função de assistente técnico de gabinete para uma carga horária de oito horas/dia. Na época Paulo Cesar alegou que Grazyella trabalhava no legislativo antes de se casar com ele.
Antes disso, porém, Gabriel trabalhava como agente de serviços de gabinete para o deputado Carlos Pimenta (PDT), mas ficou desempregada quando Pimenta virou secretário estadual de Trabalho e Renda. Paulo Cesar, entretanto negou que tenha interferido no retorno e ascensão financeira da atual esposa.



terça-feira, 11 de setembro de 2012

As Velhas Falácias Monlevadenses no Flagrante do Dia do Basta à Corrupção


Uns dos mais graves problemas filosóficos que atingem João Monlevade são, sem duvida, as falácias e os sofismas que contaminam os debates e os discursos que envolvem ou deveriam envolver a cidade, impedido que seus cidadãos se subsidiem da realidade para separar o trigo do joio e colocar cada coisa em seu devido lugar.
O discurso Monlevadense é, em regra, falacioso. E a falácia mais comumente ouvida nos fóruns monlevadenses (Câmara, blogs, Facebook e etc) é a chamada Falácia Contra a Pessoa, com a qual o sofista procura negar uma determinada proposição com uma crítica ao seu autor e não ao seu conteúdo.
No caso do vergonhoso e emblemático flagrante realizado pelo Grupo Transparência Monlevade na porta da Prefeitura no último 7 de Setembro, as coisa não poderiam ser diferentes.
Bastou que a notícia ganhasse as mídias para que os sofistóides se engajassem em desmerecer o acontecimento, atacando o grupo autor da histórica façanha, sob a alegação falaciosa que o movimento teria sido engendrado por algum único partido político.
No entanto, como demonstram as imagens contidas nos vídeos acima, na manifestação do Dia do Basta estiveram presentes filiados do PDT, que apóia a candidatura de Teófilo Torres; filiados do PC do B, que apóia a candidatura de Conceição Winter e de filiados do Partido dos Trabalhadores, que apóia as candidaturas de Gentil & Laércio. Como se vê, apesar das falácias enganosas, o movimento foi suprapartidário.

sábado, 8 de setembro de 2012

Movimento Contra Corrupção Flagra Uso da Máquina Pública em Benefício de Candidatas, na Porta da Prefeitura


Ocorreu no 7 de setembro de ontem, a primeira e histórica marcha monlevadense contra a corrupção. A manifestação, que reuniu uma multidão de pessoas, foi idealizada pelo grupo “Transparência Monlevade”, seguindo uma tendência nacional na rede social  Facebook e percorreu as avenidas do centro da cidade, reivindicando o fim da improbidade e da imoralidade administrativas e da corrupção no Município, até chegar ao pátio da Prefeitura Municipal de João Monlevade, onde teve um desfecho inesperado.
Ironicamente, um caminhão modelo Mercedes Benz 608, placa LUZ-5793, de Teófilo Otoni e caracterizado com propaganda eleitoral das candidatas Conceição Winter e Dorinha Machado era carregado com caixas e equipamento de som, que, horas antes, haviam sido utilizados em evento oficial do Município, alusivo ao Dia da Independência do Brasil, numa vergonhosa situação de flagrante de uso da máquina pública em benefício das candidatas da Coligação Monlevade em Primeiro Lugar, que é formalmente apoiada pelo prefeito Gustavo Prandini.    
O Cartório Eleitoral e o Polícia Militar foram acionados por representante do grupo Transparência Monlevade e estiveram no local, oportunidade em que foram lavrados, respectivamente, boletim de ocorrência e termo de constatação, além da apreensão do veículo.
Com base nas provas colhidas na ocorrência, caso sejam eleitas, Conceição e Dorinha poderão ter os diplomas cassados por ato de abuso de poder político, além de outras sanções. Cópias das provas documentais referentes à ocorrência serão remetidas ao Ministério Público Eleitoral.         

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Em Breve...

Em breve, estarei publicando, aqui no Monlewood, uma matéria exclusiva sobre um dos maiores exemplos de enganação e de desperdício de dinheiro público da atualidade político-administrativa monlevadense: o Memorial do Aço.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Frase do Dia

"No caso dos autos, é possível verificar que a mensagem postada no dia 23 de agosto de 2012 pelo representado em seu blog merece direito de resposta, pois o seu conteúdo é depreciativo."


A frase é do Promotor Público Eleitoral, Emerson Henrique Martins, e foi extraída do parecer do Ministério Público na representação de Direito de Resposta contra jornalista formado, extemporaneamente, que mesmo tendo a oportunidade judicial de se inteirar sobre as regras que regem o processo eleitoral, segue a insistir no mesmo erro, mentindo e proferindo ofensas e o faz por apenas um motivo: não sabe fazer diferente.
Eu, particularmente, penso que o termo “vingança” não deve nem mesmo ser pronunciado. Mas, jornalista formado, extemporaneamente, chega a ultrajar a si próprio, revelando sua verdadeira e tenebrosa face, na medida em que publica tratados infames sobre seus desejos de “vingança” e ainda há quem o acompanhe.
É o que eu sempre digo: o passionalista sempre age contra seus próprios interesses. O desastre prandindista é o maior exemplo disso.
E por falar em Prandini, as conexões entre o jornalista formado, extemporaneamente, e o pior governo da história de João Monlevade se fecham a cada dia. Desta fez foi judicialmente. A advogada que defende o jornalista formado, extemporaneamente, no Direito de Resposta em tela é ex-procuradora jurídica do governo prandinista e a mesma que defende o consorte umbilical do atual prefeito, Emerson Duarte, em outra representação eleitoral.
Conclusão: dia após dia, fica mais claro para o cidadão monlevadense que o jornalista formado, extemporaneamente, se supõe e se coloca como defensor desmedido do governo mais perseguidor, desumano, irresponsável, desagregador e destruidor da história de João Monlevade.

domingo, 2 de setembro de 2012

jornalista formado


Jornalista formado, intempestivamente, sugere ter matado as aulas de ética e de lógica na faculdade, eis que o direito de informar não deve ser confundido com o ato de mentir e de ofender, reiteradamente. Não me estranham os faniquitos de jornalista formado, intempestivamente, já que a hidrofobia e as passionalidades que lhe são próprias, sempre levam à inversão de valores, buscando, falaciosamente, transformar o ofensor em vítima. Coitadinho! Inversão de valores esta que não lhe é incomuns, porquanto teima em continuar mentindo: não sou filiado a partido político e a decisão de restabelecer a verdade (que o jornalista formado intempestivamente, não cita em seus faniquitos recentes) e o bom nível dos debates do processo eleitoral, civilizadamente, sem ofensas ou mentiras, por meio do 3° Poder do Estado Democrático de Direito – o Judiciário – se deu junto da coordenação da campanha, da qual sou representante jurídico, após veemente sustentação minha neste sentido (ou seja, diferentemente, do que mente o jornalista formado, intempestivamente, não sou advogado de inscrição OAB/MG 109.390 de partido algum, apenas da Coligação, assim como também não é certo que serei procurador na Prefeitura no provável caso Gentil & Laércio serem eleitos. O que cobrei dos mesmos foi participação e a instituição gradativa de um modelo de Escola em Tempo Integral, abrangendo todo o sistema educacional público do Município). Por fim, coloco que a intempestividade da formação do jornalista é uma argumentação tão sólida quanto a alegação de tempo que ele diz ter como profissional (?).