Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Que Crise é essa no Margarida?

Foto: http://zegeraldodoespinhacooficial.blogspot.com.br/2012_08_01_archive.html

Estranho! Até pouco tempo atrás, a administração do Hospital Margarida, festejada em palanques de inaugurações fabulosas, amplamente, divulgadas pela mídia, contando com a presença de Danilo e Rodrigo de Castro, Mauri Torres, Carlos Moreira, Lucien Marques, Guilherme Nasser e outros, vinha de vento em polpa. Agora, já está em crise, justamente, depois de uma auditoria realizada pelo Ministério da Saúde, em que se constatou que o Margarida e a Secretaria de Saúde não possuem grande parte da documentação necessária à comprovação dos gastos referente ao repasse mensal de recursos públicos que o Município realiza para com aquela casa de saúde. Documentação esta que, aliás, até agora não apareceu.
É preciso agora que as instituições cobrem, tanto Secretaria de Saúde, quanto do Hospital uma resposta séria e honesta sobre o que, realmente, está acontecendo e de onde vem esta crise.          

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Marina


Infelizmente, a Marina é fraca em todos os sentidos. Demonstrou fraqueza, por exemplo, ao não conseguir recolher as assinaturas suficientes para fundação de seu partido político, aquele travestido de Rede Sustentabilidade. Para quem pretende, agora, votar em Marina, recomenda-se prudência, pois o voto deve ser consciente e não movido pela paixão ou pela comoção momentânea gerada pela tragédia de outrem. Recomenda-se também uma análise profunda sobre o vice da Mariana, pois a franqueza desta candidata não é apenas política. O cotidiano imposto pela Presidência da República, além de robustez política, também demanda saúde física, coisa que a Marina não tem e que, paradoxalmente, salvou a sua vida: tivesse a Marina condições de acompanhar o frenético ritmo de campanha empreendido por Eduardo Campos, ela não utilizaria vôos comerciais para se deslocar pelo país.
Numa situação muito brasileira em que os mortos, automaticamente, se tornam santos e a então canonização popular de Eduardo Campos aproveita, momentaneamente, a Marina Silva, tenho consciência de que vou despertar a ira de muita gente com o que vou afirmar adiante – mas, que se dane: Marina não suporta seis meses de Presidência da República, ela tem o perfil de uma tuberculosa.