Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

quarta-feira, 25 de março de 2015

Lista de Nomes dos Conselheiros (CODEMA) que Aprovaram o Corte das Árvores da Alberto Lima

 Nos termos da respectiva ata em anexo, publico a lista dos nomes dos conselheiros do CODEMA (Conselho de Defesa do Meio Ambiente) que, em 28 de janeiro, deliberaram pela autorização do corte e da supressão de 87 árvores e de 100 palmeiras da Avenida Alberto Lima, a pedido da Secretaria Municipal de Obras:

-José Arcênio de Magalhães, presidente do conselho e representante da SMMA;

-George Humberto Nunes Domingues, representante da Secretaria de serviços Urbanos;

-Gilson Moraes Santiago, representante do Sindicato da Construção Civil;

-Fernanda Aparecida Rodrigues, representante da Secretaria de Obras;

-Jaime Batista Ramos, representante do Instituto Arbore;

-Antônio Sávio de Oliveira, representante das associações de bairros;

-Otacílio Quintão Carneiro, representante da Acimon;

-Marcilene Evangelista Dias, representante da Câmara Municipal;

-Talles Vinícius Messias Marcelino, representante da Secretaria de Saúde;

-Fabiana de Ávila Modesto, representante da UEMG;

-Gilmar Rodrigues da Silva, representante do DAE;

-Sandra Mendes Gandra, representante da Secretaria de Educação;

-Antônio Anastácio Quaresma, representante dos sindicatos patronais,

-José Ivair de Castro, representante do CREA. 





terça-feira, 24 de março de 2015

Acessibilidade de Guilherme Nasser




Na última reunião da Câmara, o vereador Guilherme Nasser fez uso da tribuna para esclarecer que a instalação, recente, dos imensos quebra-molas pelas avenidas de João Monlevade é para trazer acessibilidade, já que se pretende usar os mesmos como faixa de pedestres. Cabe agora ao vereador explicar como um cadeirante, por exemplo, deve fazer para vencer o desnível desses quebra-molas e o vão que existe entre os mesmos e a sarjeta (fotos). Engenharia nota zero nessa Prefeitura, como sempre!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Improbo Inelegível já usa Rádio de Mensaleiro para Reeleger Fantasma

A rádio Cultura, de propriedade do ex-deputado Mauri Torres, já está em plena campanha para reeleger Teófilo Torres (BSDB). Segundo a narrativa do inelegível Carlos Moreira, o PT inventou a corrupção no Brasil.
O improbo Carlos Moreira só não usa o microfone para informar que o PT de Monlevade não tem escândalos de corrupção em seu currículo e que, muito pelo contrário, é o próprio Carlos Moreira que figura como grande protagonista de atos de malversações do dinheiro público no Município, nos últimos 14 anos, dentre eles a Farra do Lixo, o Santa Madalena, etc.
Teófilo Torres, também não se salva. Além de ser o único prefeito da história de João Monlevade a ser processado por ato de improbidade administrativa praticado antes tomar posse em seu mandato (caso do Fantasma de Nova Serrana), o atual prefeito também já coleciona outros processos, encontrando-se, inclusive, com os bens bloqueados pela Justiça.

E certamente a maior marca cravada por um episódio de corrupção fica com o ex-deputado Mauri Torres, dono da rádio, que por ter avalizado um cheque no valor 1 milhão de reais para a empresa SMP&B de Marcos Valério, consta da relação de nomes do Mensalão Tucano, o que faz do pai do prefeito o único mensaleiro da história política de João Monlevade.        

terça-feira, 17 de março de 2015

Outro Relato sobre o Incêndio de 1968 no Colégio do Caraça

A seguir, publico um outro relato, que apesar de apócrifo, encontra-se exposto na atual Biblioteca do Caraça, sobre os acontecimentos que envolveram aquela ainda nebulosa madrugada de 28 de maio de 1968, ocasião em que as instalações da Grande Biblioteca, o Teatro, o Laboratório de Física, o Museu de História Natural e os dormitórios foram, totalmente, destruídos por um violento incêndio, colocando fim às atividades do mais importante educandário da história do Brasil. Nota-se que este outro relato apresenta uma dinâmica muito destoada da narrativa contida no testemunho do ex-aluno Sylvio. Também chama a atenção por mencionar que no momento em que o incêndio foi constatado um alarme teria sido acionado aos gritos de “atenção, disse, acorde, fogo na encadernação!”, situação negada pelo testemunho prestado em vídeo pelo ex-aluno Antônio de Assis Martins Quintão.        .     


Globo: a Bola da Vez são as Avós

É inegável a imensa importância da Igreja no papel civilizatório e de construção do Brasil. Não fosse por consentimento e autorização do Papa, a frota de Cabral jamais teria zarpado do Porto de Belém para vir descobrir o Brasil.
Até a década de 1930, além de se posicionar como autoridade moral do país, à Igreja também era atribuída a tarefa da instituição e da manutenção de colégios, conventos, seminários, orfanatos e até de hospitais que eram chamados de Santas Casas. E ainda através da prática religiosa e dos Sacramentos, A Igreja não apenas alfabetizava e instruía, como também formava ética.
É possível se afirmar que por quase 450 anos o Brasil foi produto direto da Família Brasileira. Foi assim até a fundação da Rede Globo de televisão.
Além de se pautar por conteúdos que conduziram para a flexibilização aleatória do modelo tradicional de Família Brasileira, a Globo também tem agido de forma a atingir, diretamente, determinados elementos da instituição familiar, que podem ser considerados os mais frágeis entre eles.
Primeiro, ainda na década de 80, a Globo tratou de contaminar a referência das crianças brasileiras, ao lhes apresentar como “rainha dos baixinhos” uma ex-atriz pornô, a Xuxa. Iniciava-se, assim, a desestruturação da figura da criança, dentro da família. Posteriormente, nas décadas seguintes, a Globo deu seqüência a seu intento e direcionou para as crianças e adolescentes brasileiros forte conteúdo sexual, através de programação imprópria e de gêneros musicais como o Funk e o Sertanejo Universitário. O propósito era claro: incentivando a sexualidade precoce das crianças, a Globo criava uma legião, formada, principalmente, de meninas que já aos 12 ou 13 anos se tornavam mães e eram forçadas por tal condição a largar os estudos. Assim, não podiam freqüentar as escolas e, quando se tornavam adultas, eram obrigadas a ocupar postos de trabalhos de baixa qualificação e baixa renda, principalmente, nos afazeres domésticos, como ocorria com os mocambos e o escravos. Neste novo modelo de família pregado pela Globo, não raro eram as avós, que seguravam a barra e que criavam os netos precoces.
Agora, a Globo dá mais um passo a diante em sua busca desenfreada por destruir a Família Brasileira e, desta vez, mira  nas avós, como já demonstra a nova novela das 21 horas.  

segunda-feira, 16 de março de 2015

Picuinha Política Motiva Corte das 200 Árvores

Está claro que a motivação para o corte das 200 árvores da Avenida Alberto Lima é político.
A desculpa dada pelo governo Torres de que as árvores prejudicam a acessibilidade não cola, porque os passeios podem contornar as mesmas. Como também não cola a justificativa de que as árvores não se enquadram nos parâmetros do projeto de revitalização da via, pois projetos sempre podem ser adaptados e a turma desse governo nunca respeitou parâmetro de nada. Os quebra-molas, recentemente, instalados cidade afora são prova disso. Se quiser, pode entrar também no pretenso Hospital Santa Madalena. Ademais, nesta era de eventos climáticos, o urbano deve se adaptar à natureza e não o contrário.
O fato é que a grande maioria daquelas árvores foi plantada pelo prefeito Leonardo Diniz. E é a pura picuinha política que, agora, as sentencia ao corte. 

domingo, 15 de março de 2015

Massa de Manobra Favorece Atual Sistema Político não Representativo, Corrupção e Muito Mais

Se você foi um dos milhares de brasileiros que foram às ruas, hoje, para pedir o impeachment de Dilma, parabéns! Você acaba de ser usado como massa de manobra a fim que nada mude na política deste país e pior: você também acaba de contribuir para colocar o Brasil, possivelmente, na rota de uma grave convulsão civil.  
Na lógica da corrupção, se Dilma for deposta, o vice que assumirá, Michel Temer, também terá que sofrer o impeachment, pois seu partido, o PMDB, também se encontra mergulhado na lama do petróleo ( se você não considerou isso ante é porque o que te move é apenas raiva contra o PT- seja humano, não aja com raiva). Então, no caso de convocadas novas eleições e Aécinho Malvadeza vencer, ele também teria que se afastar da Presidência, já que além de seu partido também estar nadando de braçada na lama petrolífera, o candidato derrotado ainda está envolvido com o tráfico de pasta base de cocaína, como demonstrou o helicóptero dos Perrellas e o aeroporto do tio.  Mas, como a Globo abafa tudo dos tucanos, no caso de uma eleição de Aécinho  é bem provável que as coisas voltem ao normal e nunca mais se fale de corrupção na Petrobrás, até o PT voltar ao poder e, assim, seguiremos com o mesmo modelo político não representativo e de loteamento fisiológico do Estado Brasileiro, como se nada tivesse acontecido e nada mudará.   
Certamente, que os escândalos de corrupção na Petrobrás são motivos mais do que suficientes para o povo ir às ruas protestar. No entanto, esses protestos deveriam alimentar a promoção das reformas, principalmente, da reforma política, já que o próprio Petrolão revela que todos os partidos se encontram mergulhados no mar de lama da maior estatal brasileira e que não importa qual deles assuma a Presidência da República, será obrigado a, fisiologicamente, lotear o Estado Brasileiro, entre os partidos da base, do contrário não consegue maioria no Congresso Brasileiro para governar.  E é aí que se encontra, essencialmente, a origem da corrupção: na necessidade de se conceder cargos na administração direta, nas estatais, nas empresas públicas, etc, como condicionante para apoio no Congresso.
Depor a presidente ao invés de promover a reforma política é a receita para a manutenção de um sistema político não representativo e que é o maior responsável pelo Petrolão. Como todos os delatores da Operação Lava Jato já confirmaram, a corrupção da Petrobrás vem desde Sarney, passando por Collor, Itamar, FHC e Lula. E isso ocorre, porque o atual sistema político foi concebido em 1965 e remendado em 1985 pela Ditadira Militar para que, obviamente, a política não fosse usada como instrumento de transformações econômico-sociais no Brasil. A última coisa que os militares queriam eram reformas e mudanças.
 O Brasil democrático ainda não produziu seu sistema político democrático. Ele, incrivelmente,  ainda é aquele criado por um Ditadura que censurou, matou, torturou e sabotou .  
Também não se pode deixar de dizer que a equipe política da presidente também errado muito e apresenta um certo esgotamento.  Passou da hora de Mercadante subir no telhado e de Lula entrar em cena nos bastidores. A bola agora está com o Congresso, o que demandará bastante habilidade política.  Nesta trajetória de crise, a Dilma só voltar  a apresentar maior capacidade de resposta no caso do insucesso de Lula, pois então o perigoso tudo ou nada assumido pela Globo pode se desdobrar pelas ruas de modo muito diferente do visto hoje e a Presidente tem vasto knohow em táticas de guerrilha. O Araguaia que o diga!   

Aos Sem Memória e Confusos que Querem a Volta da Ditadura

O desejo de alguns brasileiros pela volta do Regime Militar visto em algumas postagens nas redes sociais, ultimamente, comprova, pelo menos, duas coisas: a primeira, que não conhecem a história recente do país; a segunda, que o brasileiro tem se tornado, a cada dia, mais confuso.  
Não conhecem a história recente do Brasil, porque não compreendem que o Regime Militar foi instaurado, naquele momento no Brasil,  para impedir, à força, que o então Presidente João Goulart implementasse as chamadas Reformas de Base (reforma política, dos meios de comunicação, tributária, administrativa, educacional, etc), que eram, justamente, as mesmas reformas que o Brasil, urgentemente, ainda demanda, apesar de já passados 51 anos do Golpe de 1964. Ora, se o país precisa das reformas e se foi o governo militar que impediu que elas ocorressem, ainda na década de 60,  a conclusão lógica é que a ultima coisa que o Brasil demanda, neste momento, é pela volta da Ditadura.
Também é o brasileiro cada dia mais confuso, porque o atual sistema político, do qual todos reclamam por não permitir a respectiva representatividade e por ser, extremamente, corrupto, foi fundado, em 1965, também pelos militares. Ora,  se desejam representatividade e ética na política e se o atual modelo, que não é representativo nem ético, também foi instituído pelos militares, mais uma vez, a ultima coisa que o Brasil demanda é pela volta da Ditadura.
Mas, não fiquem tristes. Propositalmente, no Brasil, poucos conhecem sua história e a grande mídia, realmente, confunde. Tudo faz parte do sistema.


sexta-feira, 13 de março de 2015

Um Relato sobre o Incêndio de 1968 no Colégio do Caraça

Abaixo, publico o relato de um ex-aluno do Caraça sobre os acontecimentos que envolveram aquela ainda nebulosa madrugada de 28 de maio de 1968, ocasião em que as instalações da Grande Biblioteca, o Teatro, o Laboratório de Física, o Museu de História Natural e os dormitórios foram, totalmente, destruídos por um violento incêndio, colocando fim às atividades do mais importante educandário da história do Brasil. Importante ressaltar que, segundo o Calendário Gregoriano, 27 de maio de 68 foi uma segunda-feira de lua cheia e não uma terça-feira, como, erroneamente, se inicia o testemunho contido no relato. Este documento se encontra disponível na atual Biblioteca do Caraça.        






quarta-feira, 11 de março de 2015

Aumento de 100% no IPTU: Aperto Pior que o da Dilma só o de Teófilo

Esse ajuste fiscal colocado pela presidente Dilma, certamente, não alegra a ninguém, a não ser  a aqueles que, como os banqueiros, vivem da usura, considerando ainda o último aumento ocorrido na taxa de juros básicos, apesar de, na média histórica e para os padrões brasileiros, a Selic se apresentar, relativamente, baixa, levando em conta determinado momento do governo FHC que ela chegou a absurdos, 49% ao ano.
Mas em João Monlevade, em matéria fiscal, o governo Teófilo Torres, perto da Dilma é fichinha, pois o recente anuncio do inacreditável aumento de 100% no valor do IPTU representa, na realidade, um verdadeiro "assalto fiscal" ao bolso do contribuinte.
Nunca, o contribuinte monlevadense viveu uma majoração tão pesada de um imposto. E, justamente, num momento de estagnação do setor imobiliário local, que sinaliza para uma trajetória de queda dos preços dos imóveis e dos aluguéis nos próximos meses, o que contradiz, frontalmente, a justificativa da Prefeitura para esse verdadeiro assalto contra o contribuinte de João Monlevade. 
E tudo, uma cortesia da secretária de Fazenda, Laura Carneiro, ex-prefeita de Nova Era e operadora do "Choque de Gestão" tucano que, em Monlevade, além de reduzir os investimentos na saúde e na educação para provisionar a terceirização de serviços públicos, também demonstra um vorás apetite pela taxação sobre as moradias do povo.                  considerando a ros,vem da rentismo idente Dilma    

quarta-feira, 4 de março de 2015

Dilma Erra

A Presidente Dilma erra em não comunicar ao povo brasileiro que os recentes aumentos do preço dos combustíveis não têm relação com a corrupção da Petrobrás, mas sim com a atual meta fiscal do governo.
Dilma erra em não comunicar ao povo brasileiro que o recente aumento na conta de luz se deve à falta de chuva que impossibilita o abastecimento das represas, obrigando o Operador do Sistema a acionar  as termelétricas que têm um custo de produção muito mais caro do que das hidrelétricas.
Dilma erra em não comunicar o povo brasileiro que as medidas fiscais que seu governo tem tomado não são copiadas do programa de governo de Aécio Neves, mas sim, impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
A Presidente erra em não ser mais veemente no sentido de esclarecer que no caso da corrupção da Petrobrás, que, segundo os próprios delatores, vem desde Sarney, é no Governo Dilma que toda a tramoia tem vindo a público, os envolvidos serão julgados e os culpados condenados, havendo ainda o bloqueio de bens das mega-empresas envolvidas e o repatriamento dos valores desviados a fim de ressarcir o Erário.
Dilma tem errado em dar muito espaço para tucanos neste seu governo.     em a pverno Dilma que toda a tramoia Sarneyponsabilidade Fiscal.

de luz se devem a estiagem que n    

Instabilidade Política: a Estratégia da Globo para Impedir as Reformas

Atualmente, até os agentes dos mercados financeiros são unânimes em afirmar que, para o Brasil ser capaz de explorar, plenamente, todas suas vocações econômicas são, urgentemente, necessárias as reformas política, tributária, dos meios de comunicação, administrativa, educacional, etc.
Notem que todas essas reformas são as mesmas que, há mais de 50 anos, o então Presidente João Goulart anunciou que realizaria,  com o nome sugestivo de Reformas de Base, o que levou a elite parasitária brasileira, refratária à perda de seus favoritismos históricos, a usar da força militar, da violação das liberdades constitucionais e da subversão do Estado Democrático de Direto para, em 1964, colocar um violento basta naquelas aspirações reformistas.
Em 1965, já dentro daquela atmosfera da Ditadura, os militares, agindo em fidelidade com a ortodoxia da elite conservadora, trataram logo de estabelecer um sistema incapaz de permitir que a política fosse, a partir de então, usada como instrumento de transformações sócio-econômicas no Brasil. Tudo que os militares não queriam naquele momento eram mudanças. "Reformas nunca mais!" era o que se ouvia nos bastidores do regime. Assim, com previsão no Ato Institucional nº 1 e subscrito pelo general Castelo Branco, entrou em vigor o atual Código Eleitoral Brasileiro.
É por isso que nosso sistema político não é representativo. Porque a representatividade é própria dos Regimes Democráticos e, ao contrario, as bases de nossa legislação eleitoral são ainda um forte ranço da Ditadura. É por isso também que existe tanta corrupção na política. Porque a elite brasileira é, extremamente, corrupta! Quer corrupção maior do que o próprio golpe de 64? No atual modelo de Presidencialismo de Coalizão Brasileiro, o governante que não lotear o Estado Brasileiro entre os partidos da base, simplesmente, não tem maioria no Parlamento, e, consequentemente, não governa. Tudo, propositalmente, elaborado pelos militares que não queriam mudanças.  Daí, a necessidade das reformas nos modelos.
Logo após o Golpe de  64, os militares não cuidaram apenas de instituir um sistema político que servisse a seus intentos reacionários e anti-democráticos. Eles também editaram o atual Código Tributário Nacional que taxa o consumo em demasia, deixando livre de tributação a renda das grandes fortunas e  que também é assinado pelo general Castelo Branco. E é óbvio que eles também criariam seu sistema de mídia. Afinal, não há ditadura que se preze que não imponha a censura, a doutrinação dos ideais do regime e a manipulação das massas.
E é neste contexto que, também em 1965, a Rede Globo de Televisão foi criada. A Globo foi a mídia da Ditadura. Isso é fato histórico. A Globo foi fundada, em razão do Golpe, para fazer circular entre as mentes os ideários contrários às mudanças econômico-sociais que resultariam das Reformas de Base de Jango. Significa dizer que, no que diz respeito ao poder, a Globo é, por origem e natureza, conservadora e contrária às reformas que seriam implementadas em 64 e que, passados 51 anos, ainda são as mesmas, atualmente, demandadas pelo Brasil.
Por motivos óbvios, a mãe te todas as reformas é a Reforma Política. Por que a Globo, não ataca com a mesma veemência que faz com PT o atual sistema político brasileiro, já que todos os partidos estão, por exemplo, envolvidos no Petrolão? Por que o "jornalismo" da Globo é tão seletista? Por que a Globo sempre poupa a corrupção do PSDB? Por que a Globo abafou o caso absurdo do helicóptero de meia tonelada de pasta-base de cocaína dos Perrellas? Por que a Globo não se debruça sobre o atual e falido sistema político, como faz com a Petrobrás, e expõe todos os seus defeitos propositais para o Povo Brasileiro? Porque, se fizer isso, a Globo estará criando as condições para um reforma que traga mais representatividade e retidão à política brasileira. E isso pode ser um precedente perigoso, pois, além de permitir que a política volte a ser instrumento de mudanças sociais no país, uma reforma, certamente, puxará a outra. A próxima seria a reforma dos meios de comunicação e a Globo não vai querer perder o monopólio de 70% que tem sobre o faturamento do setor televisivo brasileiro, herdado pelos militares e ainda vigente.
A estratégia da Globo é clara: quanto maior a turbulência política em Brasília, menores serão as condições para a reforma política já anunciada pelo governo. Aliás, toda essa corrupção vergonhosa que atinge a Petrobrás e todos os grandes partidos são o maior atestado de que o país necessita, urgentemente, da Reforma Política.
É preciso ficar atento para que, como ocorrido há 51 anos, esses ranços da Ditadura Militar, como a Globo, não empeçam a concretização das reformas demandadas pelo Brasil. Em pleno sec. XXI, o Brasil não pode mais permanecer no atraso inaugurado ainda em 64. Como pode haver democracia plena neste país, se já passaram mais de meio século e o Brasil ainda convive com todos esses ranços da ditadura?!! Reformas Já!

terça-feira, 3 de março de 2015

Insegurança na Vila Tanque


No Bairro Vila Tanque, um dos mais tradicionais de João Monlevade, a sensação é de insegurança. O Bar do Vital, localizado a apenas alguns metros da residência do Comandante da Polícia Militar de João Monlevade, sofreu mais um assalto, á mão armada, na semana passada.
Por pelo menos três vezes nos últimos 12 meses, o proprietário do estabelecimento, Zé Vital (foto),  foi ameaçado, amarrado e/ou roubado, sempre pelos mesmo dois bandidos que chegam de moto e levam o que de valor estiver disponível na garupa de uma moto. Até a televisão adquirida pelo comerciante, no ano passado, para a copa, já foi levada pela dupla.