quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Último Ano de Governo e Teófilo ainda não Cumpriu Promessas de Campanha

Teófilo Torres chega ao início do último ano de seu mandato, sem cumprir dois eixos básicos de seu magro programa de governo, ou seja, de suas promessas de campanha.
Uma delas foi a inauguração do Hospital Santa Madalena, adaptado pelo improbo ex-prefeito Carlos Moreira no prédio da antiga rodoviária ao custo de mais de 22 milhões de reais em recursos públicos. Ao contrário do que prometera, Teófilo Torres encerrou as atividades do Pronto Atendimento (PA) naquele local e a tendência é de encerramento completo das atividades de saúde no prédio já que a multimilionária obra de adaptação da antiga rodoviária num hospital de 100 leitos não respeitou as normas pertinentes da Vigilância Sanitária. Ou seja, o Hospital Santa Madalena, concebido pelo inseparável cabo eleitoral de Teófilo, Carlos Moreira, já fez com que Monlevade perdesse uma Rodoviária centralizada e bem estruturada, 22 milhões de reais, a promessa de um hospital de cem leitos e, recentemente, o PA.
A outra promessa não cumprida foi a isenção da taxa mínima de água. Para ser eleito prefeito Teófilo prometeu voltar com a isenção do pagamento da taxa referente ao serviço público de abastecimento d’água tratada para grande parte da população, a exemplo do que ocorrera no governo Carlos Moreira, apesar de tal medida populista ser considerada renúncia de receita, o que é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Ao contrário, Teófilo não apenas promoveu sucessivos aumentos na referida taxa, como também delegou para o Consórcio de Saneamento Básico, com sede em Belo Horizonte, a competência para fixação e reajuste da taxa d’água, além de outras coisas.
Outro fato que também deve ser rememorado neste início de ano eleitoral é que, passados mais de 3 anos do governo Teófilo Torres, a Cratera do Areia Preta continua tal qual se encontrava no dia da posse do prefeito, em janeiro de 2013.