Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Prestação de Contas de Simone é "Rabo de Foguete"


A Prestação de Contas da prefeita eleita, Simone Carvalho, está um verdadeiro “rabo de foguete”. 
Relatório divulgado pela Justiça Eleitoral, recentemente, aponta uma extensa série de irregularidades na prestação de contas da candidata, que deve ser diplomada no próximo dia 12. Resta saber se, uma vez empossada, quantos meses Simone se sustentará no cargo. 
Segundo relatório técnico, as irregularidades nas contas de Simone e Fabrício Lopes vão desde gastos de campanha junto a pessoas jurídicas, sem emissão de notas fiscais, passando por doações de recursos acima da capacidade econômica dos doadores; inúmeras omissões de despesas, até a utilização de recursos de fonte vedada, como a doação de empresa e de permissionário de serviço público. 
Segundo a Lei 9050/97, a decisão que julgar as contas da candidata eleita deve ser publicada até 3 dias antes da diplomação, lembrando que uma rejeição das contas, por si só, não acarreta em cassação automática. Para tal, será preciso postular processo autônomo.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Quem Manda no Brasil?

O Brasil não é uma coincidência como muitos pensam. O Brasil é, propositalmente, montado para ser, exatamente, o que ele é hoje. E quem são essas pessoas que mandam e montam o Brasil contemporâneo? São cerca de 10.000 credores da dívida pública brasileira que, apesar de não produzem sequer um parafuso para a nação, recebem, livremente todo ano, quase que a metade do orçamento da União em juros, sem que o brasileiro tenha a menor consciência de tal situação, pois a mesma não é pautada pela grande mídia. Esses é que mandam no Brasil, comandando a mídia, o setor financeiro, os meios de produção, a política, etc. O Brasil é deles. Tudo esta montado em função deles. Trabalhamos para eles. 
É verdade, se os 10 mil credores recebem todo ano quase que a metade do orçamento público em juros e se conforme a carga tributária brasileira, a cada 10 dias trabalhados o contribuinte trabalha 4 só para pagar impostos, significa que o equivalente a 2 dias de trabalho do brasileiro ficam com os banqueiros e os outros 2 são divididos entre a previdência, a saúde, a educação, a cultura, a segurança, o esporte, etc. É por isso que o Brasil não tem recursos para nada. É porque existem 10.000 pródigos no Brasil. 
Quem são eles? Essa é a primeira grande pergunta. É preciso dar nome aos bois e conhecer essa gente até para que o país possa dirigir um basta a cada um deles. Com o que gastam tanto dinheiro? Realmente, apenas no ano de 2014 esses 10 mil receberam cerca de 900 bilhões de reais em juros do governo. Ninguém viu esse dinheiro ser investido em ciência e tecnologia, infra-estrutura ou no patrocínio da arte. Será que gastam isso tudo em Miami, Las Vegas ou no cassino de Monte Carlo? Por que temos que pagar tanto dinheiro para essa gente? Que dívida é essa? Porque devemos tanto se temos tudo em nosso país?
Enquanto isso, a Globo pauta apenas a reforma da previdência, que não representa sequer a metade do gasto da União com os juros dos 10 mil credores. O problema do Brasil são os aposentados que deram a vida inteira de trabalho para o país. Os 10 mil que consomem metade do orçamento, sem qualquer trabalho em troca são os manda-chuva. E ainda tem a Pec 241 que limita ainda mais as despesas com educação e saúde, sem, contudo, também limitar o pagamento dos 10 mil credores. Ao contrário, a expectativa é de manutenção das altas taxa se juros, que no cartão de crédito chega a 450% ao mês. E não tem erro: ou você é daqueles ricos que recebem os juros do governo ou você é daqueles pobres que trabalham 2 a cada 10 dias para bancar a vida fácil que eles levam.


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Campanha "Doe Uma Lona para a Arcelormittal"


Agora que o período chuvoso dá sinais de iniciar-se convém o lançamento da campanha de fim de ano “Doe uma lona para a Arcelormittal”.
É que a poderosa siderúrgica indiana, por motivos de "segurança", mandou retirar o telhado do Museu Monlevade que tem em seu acervo itens preciosos remanescentes da famosa Fábrica de Ferro de Jean de Monlevade, como a desconhecida e escondida 1º Máquina a Vapor da Indústria Brasileira, o Martelo-Vapor de Monlevade, além de vários outros.
Ocorre que algumas das peças do museu são em madeira, como o engenho de uma das rodas hidráulicas (foto) utilizadas para soprar os fornos da Fábrica de Ferro original, citado no relatório elaborado pelo próprio Monlevade, em 1853, a pedido do governador de Minas, in verbis:          
   
..."Na fábrica velha existem duas rodas hidráulicas poderosas... um bicame ou tanque d’água, colocado a trinta palmos acima do fundo do canal, e no meio da casa está recebendo a aguada tôda do ribeirão, dando a fôrça motriz para as duas rodas, e o vento necessário por meio de quatro trompas, repartidos com canais de braúna por tôdas as partes".

Exposta à chuva, a madeira da Roda Hidráulica está, obviamente, apodrecendo e os bens histórico-culturais mais uma vez se perdem nas mãos da Arcelormittal.

Então, inicio a campanha “Doe uma lona para a Arcelormital” para que a siderúrgica tenha, pelo menos,  uma lona para jogar sobre o engenho da Roda Hidráulica de Monlevade, de forma a protegê-la da chuva e de, minimamente, preservar o bem cultural.