quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Comerciantes Protestam na Câmara por Segurança





As dependências da Câmara estiveram apinhadas de gente na reunião ordinária de ontem. Comerciantes fecharam suas portas mais cedo na tarde desta última quarta-feira e se dirigiram à Câmara de Vereadores para cobrar das autoridades locais soluções diante da onda de violência e criminalidade que atinge o Município e que chegou a seu ápice, na semana passada, com a ocorrência do latrocínio que vitimou o comerciante Inácio Alves Viana, de 57 anos.        
Liderança do movimento fez uso da tribuna para exigir atitude por parte das autoridades e proclamou: “Não queremos morrer de morte violenta. Queremos morrer de morte natural!”
Durante o ato, chamaram a atenção o embaraço e a incapacidade de condução da situação por parte do presidente da casa, o vereador Djalma Bastos, que foi vaiado pela multidão. Estranho é que, desta vez, Djalma não acionou a polícia para conter os manifestantes como ocorreu, recentemente, em reunião da Câmara de João Monlevade.      
Irritados com apatia de Djalma, os manifestantes se retiraram das galerias e se dirigiriam para rua, onde houve novo discurso. O vereador Guilherme Nasser até tentou convencer a multidão a deixar a portaria da Câmara e marchar rumo ao Fórum, mas foi repreendido pelas lideranças do movimento.  
A multidão, então, se dispersou com a advertência de que, caso soluções efetivas não sejam tomadas em relação à segurança pública no Município, novas manifestações serão realizadas.