quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Delcídio

É, realmente, uma coisa horrorosa o senador Delcídio do Amaral! Incrível como que mesmo sob os holofotes, investigações, prisões e condenações da Lava-Jato, ainda não deixam de praticar aqueles mesmos atos de corrupção.
É porque em Brasília a política só funciona assim. Quem não corrompe não governa. Este é o modelo de Presidencialismo de Coalizão Multipartidário Brasileiro, herdado pela Ditadura (o Código Eleitoral é de 1965) no qual o governo só consegue maioria no Congresso por meio do loteamento dos cargos dos ministérios e das estatais, etc. E os caras não querem os cargos para servir a nação. O querem para servir a si próprios, executar contratos milionários, etc. Algo natural num país em que a escola não faz formação ética e a grande mídia (Rede Globo) só faz circular a Lei de Gerson.
Destruir um partido não solucionará a grave e histórica questão política brasileira que permanece irresoluta de 1964. 
O caminho de se buscar o impedimento de Dilma para Michel Temer do PMDB, partido também atolado na Lava-Jato, assumir até que novas eleições sejam realizadas para Aécio Neves do PSDB, partido envolvido, impunemente, em todos os maiores escândalos da política brasileira, exercer um governo tampão e todos fingirem que a corrupção foi abolida no Brasil não resolve nada. Será apenas mais do mesmo, com a imensa diferença de que quando são os tucanos estão no poder seus imensos escândalos de corrupção são, prontamente, abafados pela mídia, nada é apurado e todos se livram impunes. Não vi o senador Perrella, braço direito de Aécio, ser preso no caso dos 450 quilos de pasta-base de cocaína no helicóptero. A lei deve valer para todos. 
E, cá entre nós, entre um modelo em que há corrupção e ela é superexposta na mídia, os envolvidos são processados e os culpados são condenados; e outro, em que a corrupção é toda abafada, à moda do Elitismo Brasileiro, fico com o primeiro.
O Brasil precisa é seguir punindo os corruptos, sem elitismos, e da Reforma Política, aquela mesma que, junto de outras, Jango anunciou que realizaria em 1964, a elite não permitiu e deu o Golpe. Já são 51 anos de atraso e contando...