terça-feira, 5 de maio de 2015

Complica a Situação do Gestor do Hospital Margarida

É cada vez mais insustentável a situação do atual administrador do Hospital Margarida, Ronaldo Alvarenga .
Recentemente, Ronaldo Alvarenga, confirmou que recebe o salário de 11 mil reais, como contratado do HM e que poderia ganhar mais em virtude de sua formação e de sua atuação à frente da Casa de Saúde.
Não sabia o monlevadense que, realmente, Ronaldo Alvarenga, indicado por Mauri Torres como gestor do Margarida, não ganha apenas 11 mil reais em João Monlevade. Ele também tem outro salário na cidade, no valor  4 mil reais, referente a um cargo de 30 horas semanais que tem no PA, no âmbito da Secretaria da Saúde do Estado, também de indicação de Mauri Torres, pelo que tudo indica.
Alvarenga justificou seu segundo salário, alegando que na parte da manhã, dedica-se às questões voltadas à unificação do PA com o HM. É uma explicação que ainda não colou, já que não foi colocada junto da necessária documentação comprobatória. Além do mais, se o segundo salário do gestor do Margarida, realmente, decorre do processo de unificação entre o PA e o Margarida, significa que o cargo é temporário e que não terá mais razão de existir a partir do momento em que a unificação se efetivar. E alguém acredita que o Ronaldo larga o osso?       
Na verdade, trata-se de um forte indício de contratação fantasma de funcionário que merece maiores explicações.
E vê se Monlevade aprende: caso confirmada a contratação como fantasma, o monlevadense será testemunha do recebimento de uma encomenda feita pelo eleitor, lá em 2012, ainda nas eleições, quando chegou de Nova Serrana a notícia da contratação fantasma de Teófilo Torres naquele município, que, mesmo assim, foi eleito prefeito de Monlevade. Ninguém nega sua própria natureza, principalmente, enquanto ocupa o poder! Eleger um prefeito fantasma é conviver com contratações fantasmas, como com as que podem estar ocorrendo, agora.

Naquele momento, Teófilo chegou a afirmar que o cargo fantasma em Nova Serrana teria sido articulado pelo pai, Mauri Torres, que com mais essa possível contratação do Ronaldo Alvarenga, pode a ser considerado forte aspirante a especialista no ramo das contratações fantasmas.