quinta-feira, 21 de maio de 2015

Settran Atua como Complicador do Trânsito de João Monlevade








O chefe do Settran, Jorge Lial, parece convicto de que sua função junto àquele órgão é a de coordenar o fechamento das ruas de João Monlevade. Difícil é passar o dia sem se deparar com uma via fechada pelo Settran, principalmente, no centro da cidade (fotos dos últimos 15 dias).
 Pode não ser tão óbvio para o Settran, mas, quando se fecha uma rua, o interesse público que deveria nortear as políticas públicas voltadas para o setor é, diretamente, afetado. A razão de existir de um órgão como o Settran é a de coordenar o fluxo de pedestres e de veículos pelas vias, entre outras coisas. Quando se fecha uma rua, o Settran perde sua razão institucional de existir, já que em rua fechada não há fluxo, pelo menos, de veículos, e passa, assim, a atuar como mais um agente complicador do já caótico trânsito monlevadense.
Rua fechada não tem trânsito. E onde não existe trânsito, o Settran não tem nada o que fazer ali.  Seja por que razão for, o fechamento de qualquer via da cidade pelo Settran deve ser algo motivado apenas por uma situação extraordinária, fora do comum.  E não o contrário, como tem ocorrido.