Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

terça-feira, 26 de maio de 2015

Saiba o Porquê da Intensiva Monocultura do "Sertanejo Universitário"

Sabe o porquê de se ouvir tanto “sertanejo universitário”, hoje em dia? Primeiramente, porque o sertanejo está na mídia, ou seja, nas rádios e na TV. Se convencionarem, por exemplo, que o gênero musical “choro” será levado à mídia, em breve, todos estarão ouvindo “choro”.    
Como no Brasil não existe regulamentação da mídia, quem manda no setor são os donos dos grandes meios de comunicação. Eles fazem o que querem, conforme seus interesses, e pertencem à chamada “elite brasileira”.
Em 1964, a “elite brasileira” demonstrou com o Golpe Militar que não admite transformações estruturais no país e desde então pouca coisa mudou nas amarrações de poder brasileiras. A elite detesta mudanças, pois não quer perder seus privilégios históricos.
Então, para que nada mude, a elite direciona para a juventude brasileira o “sertanejo universitário”, condicionando o jovem no “caipirismo”, porque o caipira não se envolve com a política, não debate os problemas da cidade e não contesta nada. No campo, não há “polis”, no conceito grego da palavra. Assim, essa intensa monocultura do “sertanejo universitário”, voltada para os jovens, não passa de um processo de alienação política da juventude, destinada a manter inalterada a situação dos privilégios da “elite brasileira”.
No Brasil, nada é coincidência, tudo é proposital. Seja mais um jovem caipira e contribua para que nada mude neste país.