Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Sô Dirceu


Faleceu no sábado passado, 03 de setembro de 2015, Sr. Dirceu, um dos mais antigos funcionários da extinta Companhia Siderúrgica Belgo Mineira.
Durante décadas, Sô Dirceu trabalhou, como bombeiro hidráulico, na manutenção e operação do sistema de adutoras e reservatórios, que abastecem o Bairro Vila Tanque e o Hospital Margarida de água potável, a partir de uma estação de tratamento que funciona dentro da Usina.
Também prestava serviços de pedreiro, marceneiro e jardinagem. Foi ele quem fez meu primeiro carrinho de rolimã. Sô Dirceu conhecia todas essas matas que circundam a Vila Tanque e suas serpentes peçonhentas, ou “cobras bravas” como ele as chamava, com destaque para as perigosíssimas jararacas e a abominável surucucu.    
Se uma cobra aparecia em algum quintal da vizinhança, o que não era incomum, bastava aciona-lá que ele a removia, entorpecendo o animal com um pouco de rapé.
Uma vez, eu ainda era bem criança e ele me trouxe um me trouxe um filhote desgarrado de tatu, que fugiu no primeiro dia. Noutra, ele me trouxe um filhote de quati. Fugiu no segundo.