quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Cumplicidade Ficha-Suja



A foto anexa é de reunião recente do primeiro escalão do governo Simone. A conformação da mesa demonstra quem dita as ordens no governo. Apesar de se encontrar inelegível e com os direitos políticos cassados por múltiplas condenações em ato de improbidade administrativa é o radialista e ex-prefeito Carlos Moreira que toma assento na cabeceira da mesa . 
No moreirismo existem dois tipos de pessoas. Os manipulados, que são aqueles conduzidos pelo controle político-eleitoreiro do conteúdo veiculado pela rádio Cultura, até porque é natural que a pessoa considere como verdade aquilo que ouve numa emissora de rádio, cujo noticiário jamais divulgou a verdade sobre o extenso histórico de improbidade administrativa de Carlos Moreira . E os cúmplices, que são aqueles que sabem das múltiplas condenações de Carlos Moreira, que sabem de sua inelegibilidade, sabem dos imensos prejuízos causados pelo mesmo, como os mais de 22 milhões evaporados no hospital Santa Madalena, mas que não se importam em participar de um governo que, de fato, é ditado por um corrupto. São aqueles que não trazem para a política qualquer parâmetro ético e que, na verdade, consideram que ética e política não devem caminhar de mãos dadas. Sentem-se indignados com a corrupção de Brasília, não agüentam tanta falcatrua, mas onde vivem se associam a um corrupto comprovado , incurso na Lei da Ficha-Limpa, impossibilitado de votar e ser votado, como meio de viabilizarem a práticas dos mesmos atos que o tornaram inelegível. 
Não há como alcançar resultados diferentes, agindo sempre da mesma forma. Para trazer a corrupção a níveis aceitáveis no Brasil é preciso afastar, de vez, os corruptos do poder. É preciso colocar a ética em prática, não se associar a quem corrompe a democracia mediante abuso e controle político de meio de comunicação e, sobretudo, não participar de estratagema destinado a auxiliar político ficha-suja a se esquivar de sua condição de inelegibilidade e seguir influenciando o poder, como foi o caso da eleição e composição do governo Simone. Moreira não está sozinho.