Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

2014: Ano Morto para a Justiça de João Monlevade


Iniciamos o último mês de dezembro com uma absurda certeza: o ano de 2014 foi, praticamente, morto para a Justiça em João Monlevade. Neste ano, muito mais do que nos anteriores, o Fórum Milton Campos não andou.
Falta juiz, estrutura e o ambiente forense local parece se encontrar, totalmente, na contramão da celeridade constitucional que deveria instruir a prestação do serviço público-jurisdicional. Um simples alvará judicial para liberação de valores bancários não sai com menos de um ano. Intimação de despacho judicial para o advogado não acontece com menos de 3 meses. Ação de Meação de Bens em decorrência do Divórcio não tem sentença antes de 5 longos anos de tramitação. E por aí, vai...
Ultimamente, o funcionalismo da Justiça tem se encontrado em estado contínuo de pré-greve (foto) , a cobrar da Justiça Mineira a valorização de seus servidores.
A qualidade da prestação do serviço público-jurisdicional é Direito do cidadão e elemento indispensável para o aprimoramento do processo civilizatório do Município. Sem Justiça,  a Roda Civilizatória retrocede.