terça-feira, 5 de setembro de 2017

Será que Leonardo Diniz...



Recentemente, o pivô da cassação dos mandatos de Simone e Fabrício Lopes, o jornal O Celeste (imagem), publicou a manchete que se segue: Será que, se Leonardo Diniz, fundador do PT em João Monlevade, estivesse vivo, aceitaria a traição da maiorias dos petistas com seu filho?

O impresso, que já está em campanha diante da grande possibilidade de realização de novas eleições que ele mesmo deu causa, refere-se à um suposto descontentamento do filho de Leonardo Diniz, o vereador Belmar Diniz, que estaria insatisfeito com o Partido dos Trabalhadores local. 
Mais uma vez chama a atenção a capacidade do periódico de confundir as posições e de inverter a verdade. A pergunta correta não é a estampada naquela manchete. Aliás, sobre o histórico político de Belmar Diniz, as perguntas podem ser muitas. Será que, se estivesse vivo, Leonardo asseitaria o voto de Belmar Diniz a vafor da terceirização do DAE? Será que aceitaria o voto de Belmar a favor do Rotativo? Aceitaria também o voto de Belmar que autorizou a ENSCON deixar de cobrar a passagem em dinheiro a bordo do coletivo? Será que Leonardo ainda asseitaria o fato de a estrutura da campanha majoritária no Bairro Cruzeiro Celeste ter sido, indevidamente, utilizada quase que exclusivamente para pedir votos para Belmar, levando a derrota da coligação integrada pelo seu partido, o PT, por diferença de apenas 126 votos? Será?
Hoje, mais do que nunca, Belmar Diniz é um dos vereadores mais importantes para o Moreirismo. Primeiro, porque durante os últimos 5 anos como vereador votou em todos os projetos de lei decisivos do grupo de Carlos Moreira. Segundo, porque Belmar fez Railton e Laércio perderem as últimas eleições, quanto passou a concorrer com os votos dos mesmos, ao ser, indevidamente, beneficiado com a estrutura da campanha de prefeito e vice no Novo Cruzeiro. E tudo isso para o Moreira é ótimo!