terça-feira, 24 de outubro de 2017

Provedor: "tuas idéias não correspondem aos fatos"



Recentemente, circulou em impresso local entrevista com o atual provedor do Hospital Margarida, José Roberto Fernandes, que declarou na oportunidade não ter lado político, que o hospital está aberto para aqueles que querem ajudar e que a responsabilidade pelo Bingo suspenso pela Justiça é toda do empreiteiro contratado Leonardo Pacheco Batista. 
A primeira coisa que chama a atenção no caso é a declaração do atual provedor de que não tem lado político, quando, na verdade, é de conhecimento público que José Roberto Fernandes é braço direito do ex-prefeito inelegível Carlos Moreira. Aliás, José Roberto só ocupa o cargo de provedor do HM em razão dos estreitos laços que mantém com Moreira e para defender os interesses políticos deste, vez que já demonstrou inúmeras vezes sua completa inaptidão como gestor de recursos públicos de saúde.
Também estranha o fato de o atual provedor declarar que o hospital está aberto para quem quer ajudá-lo, quando se sabe que nem toda ajuda ao Margarida é admitida por José Roberto Fernandes. Situação que salta aos olhos é da Associação dos Amigos do Hospital Margarida, que por uma década atuou como principal colaborador filantrópico do HM e foi, sumariamente, despejada de sua sala, também tendo o convênio do DAE suspenso a pedido do próprio José Roberto. Ao provedor faltou emendar que a Hospital está aberto a todos que desejem ajudá-lo, menos a AAHM, justamente, sua maior parceira na última década. 
Mas, mais absurda foi a declaração do provedor no sentido de que a responsabilidade pela suspensão do Bingo e pela devolução dos valores pagos pelas cartelas são do empreiteiro Leonardo Pacheco Batista. Ora, se foi o próprio provedor que descredenciou a AAHM da realização do Bingo e contratou o empreiteiro para tal, ele não tem como se eximir diante de sua responsabilidade. É o que se chama em Direito de culpa “in eligendo” que é a responsabilidade por se ter escolhido a pessoa errada para realizar o Bingo. Se foi o provedor que contratou o empreiteiro, ele também tem culpa.
O certo é que as declarações do provedor nunca evocaram tanto a citação de Cazuza: “tuas idéias não correspondem aos fatos”.