terça-feira, 11 de agosto de 2015

Caraça: Fernando Gabeira ao lado de Joaquim Silvério dos Reis

Definitivamente, Fernando Gabeira, natural de Juiz de Fora e carioca por opção desde 1963, entra para o rol da infâmia mineira, ao lado de Joaquim Silvério dos Reis, depois de sua visita ao Caraça, veiculada na Globo News, no domingo passado.     
Gabeira teve a faca e o queijo nas mãos para iniciar o debate sobre a verdade que se esconde por detrás do incêndio de 28 de maio de 1968, na Grande Biblioteca do Caraça, mas optou por abraçar a tese do incêndio acidental.
Qual é, Gabeira!!? Uma das mais raras bibliotecas da América Latina arde em chamas numa madrugada de lua cheia, em maio de 68, o mais conturbado da Ditadura, encerrando as atividades de uma fabulosa Escola de Filosofia, humanista e poderosa formadora de opinião, que tantos políticos progressistas produziu para o Brasil e querem fazer o mineiro acreditar que tudo não passou de um acaso?!!  Isso é um insulto contra Minas Gerais!
Gabeira conhece a verdade. A Globo conhece a verdade. É por isso que o Terra de Minas já esteve no Caraça e o tratou, exclusivamente, como Seminário de Padres, deixando de informar sobre toda a glória do Colégio e a importância do Caraça como Escola Filosófica e Instituto de Cultura, matriz da Mineiridade. Na matéria do domingo, Gabeira se refere ao Caraça como seminário, pelo menos três vezes. A própria chamada trata o Caraça como apenas Seminário. O Seminário do Caraça é consagrado pela qualidade dos padres que ordenou e também foi peça fundamental na filosofia caracense, mas está no Colégio o grande diferencial do Caraça.
Tudo, proposital! O ideário humanista induzido pelo Colégio Caraça era muito “perigoso” para a Ditadura e ainda continua perigoso para esqueletos ainda montados nos anos de chumbo, como a própria Rede Globo. Veja que cronologia reveladora: o golpe se deu em 1964, em 1965 a Rede Globo foi fundada, em 1966 o regime suprimiu a matéria filosofia dos currículos escolares, em 28 de maio 1968, o Colégio do Caraça foi incendiado, em 31 de maio de 1968, outra importante escola humanista mineira, o Colégio Santo Antônio, ainda instalado em São João Del Rey, também pegou fogo. Não existem coincidências na cena de um crime, Gabeira.