Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

domingo, 9 de maio de 2010

Cecília Meireles: Romanceiro da Inconfiência

ROMANCE VIII OU
DO CHICO-REI

TIGRE está rugindo
nas praias do mar.
Vamos cavar a terra, povo,
entrar pelas águas:
O Rei pede mais ouro, sempre,
para Portugal.

O trono é de lua,
de estrela e de sol.
Vamos abrir a lama, povo,
remexer cascalho,
guarda na carapinha, negra,
o véu do ouro em pó!

Muito longe, em Luanda,
era bom viver.
Bate a enxada comigo, povo,
desce pelas grotas!
- Lá na banda em que corre o Congo
eu também fui Rei.

Toda a terra é mina:
O ouro se abre em flor...
Já está livre o meu filho, povo,
- vinde libertar-nos,
que éreis, meu Príncipe, cativo,
e ora forro sois!

Mais ouro, mais ouro,
ainda vêm buscar.
Dobra a cabeça, e espera, povo,
que este cativeiro
já nos escorrega dos ombros,
já não pesa mais!

Olha a festa armada:
é vermelha e azul.
Canta e dança agora, meu povo,
livres somos todos!
Louvada a Virgem do Rosário,
vestida de luz.

Tigre está rugindo
nas praias do mar...
Hoje, os brancos também, meu povo,
são tristes cativos!
Virgem do Rosário, deixai-nos
descansar em paz.

(vide no campo "História das Minas de Ouro e Diamante" a postagem: Chico Rei, o Rei do Congo no Brasil)