Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Ainda Árvore de Natal

O recente episódio do incêndio na árvore de natal da Prefeitura, além de ter se revelado como um espetáculo bizarro e de mau agouro para muitos daqueles que presenciaram o ocorrido, também oportunizou a alguns integrantes do governo mais uma chance de demonstrarem o quanto estão envoltos por uma atmosfera de paranóia, que sempre coloca a administração como vítima dos recorrentes acontecimentos que têm abalado de forma histórica a avaliação de Prandini como prefeito. Antes mesmo que árvore da Praça Sete esfriasse, o responsável pela comunicação oficial do governo, o Marcos Martino, por exemplo, fez uso de seu blog para levantar suspeitas de sabotagem e de ação deliberada no incêndio do ornamento natalino. Apesar de a própria administração ter optado por não esclarecer o incidente, substituindo a árvore queimada sem periciá-la, parece ter havido um consenso de que tudo não passou de um acidente, ocasionado por um instalação elétrica inapropriada. Ora, sem uma leitura precisa da realidade que o cerca, o governo vai continuar onde está, ou seja, em lugar nenhum. Para se resolver qualquer problema é preciso, primeiramente, encará-lo de frente. Assumir uma postura de vítima é enganar a si próprio. Tudo que vem ocorrendo neste governo: a debandada da base, a quebradeira e a paralisia da Prefeitura, as dificuldades na Câmara e etc são conseqüências diretas do jeito prandinista de administrar. E o povo sabe muito bem disso.