Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Blog do Melo

Hoje, o Marcelo Melo escreveu um texto intitulado “A culpa é de quem manda e não de quem obedece”, sobre o qual gostaria de tecer algumas considerações, na posição de ex-vice presidente do Partido Verde/JM, de Representante Jurídico e advogado da coligação que elegeu o atual prefeito e de apoiador incondicional de Prandini, do ano de 2004 à abril de 2009, quando deixei o governo. Pela experiência que tive durante todo este período, pude concluir de maneira inequívoca que o governo que aí está é o resultado e o reflexo de Emerson Duarte. É ele quem toma, exclusivamente, as decisões de governo. E foi essa a maior de todas as inconformidades que me levaram a deixar o governo. Primeiro, porque o Emerson Duarte não fora eleito para tal. Segundo, porque esse modelo não estava nem está dando certo. E terceiro, porque, a meu ver, se Prandini pretendia delegar o poder das urnas à alguém, deveria, ser a seu partido, o que nunca ocorreu, nem mesmo da maneira mais tênue. Nós, que acreditávamos em Prandini como aquele que poderia construir uma João Monlevade mais humana, mais próspera, mais justa e mais cultural, não empenhamos vários anos de nossas vidas para eleger alguém que nos fizesse meros empregados da Prefeitura. O fizemos para participar de um processo de mudança, em que cada qual teria o seu lugar e a oportunidade de colaborar para a execução de um projeto muito maior do que qualquer indivíduo. Mas Prandini virou as costas para esse compromisso, optando pela delegação incondicional do poder que lhe fora conferido pelas urnas a seu assessor de governo, causando a debanda geral de sua base, de uma forma ou de outra. E o resultado é este que aí está. Por fim, com uma coisa eu concordo com o Melo. Apesar de este governo ser sim o mais fiel reflexo de Emerso Duarte dentro daquilo que defino como Pacto Umbilical, a responsabilidade é toda de Prandini. É ele o prefeito e foi ele quem optou por esses caminhos. É a melhor situação para o jargão: a culpa é do Prandini.