quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição de Catas Altas: Pérola do Barroco Mineiro


A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Catas Altas, é uma das pérolas do barroco mineiro. Considerado um dos maiores e mais importantes templos católicos de Minas, a Matriz abriga obras dos mestres Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Manuel da Costa Ataíde. O início de sua construção data do ano de 1729, substituindo uma pequena capela anterior que já não comportava o número de fiéis. Suas características arquitetônicas externas a remetem à segunda fase do Barroco Mineiro: paredes de taipa de pilão, alicerces e alvenaria de pedra, frontispício rígido e relativamente simples, com a presença de elementos ornamentais em cantaria. Esta jóia barroca possui ainda características únicas em seu exterior. Sobre suas torres, erguem se elegantes pináculos alongados ao estilo mourisco, de clara influência árabe. Entre as torres, observa-se um frontão em forma de onda, típico das igrejas litorâneas do Brasil colonial, mas, pouco comum na arquitetura religiosa das Minas setecentistas e, segundo contam os antigos, inspirado no Pico Catas Altas, que localizado, no alto da Serra do Caraça, domina toda a paisagem da pequena cidade histórica.
Pico Catas Altas, Serra do Caraça.


Possui ainda um peculiar alpendre externo, destinado a abrigar romeiros, a exemplo apenas da Igreja São Pedro dos Clérigos, em Mariana, e da Igreja do Rosário dos Homens Pretos Alforriados, em Ouro Preto. Apesar de conter retábulos inacabados, seu interior é riquíssimo e esplendoroso, apresentando características das três fazes do Barroco Mineiro, inclusive o Rococó, o que demonstra que a feitura de sua ornamentação interna demorou tempo suficiente para passar pela cronologia de todas as fases barrocas de Minas.