quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Ética: Com a Palavra o Provedor

Recentemente, em ocasião de audiência pública realizada na Câmara, logo após o atual provedor do Hospital Margarida, José Roberto Fernandes, confessar com todas as letras que não entendia nada da questão médica debatida na ocasião, indaguei-lhe pelo o que, então, ele se considerava gabaritado para exercer a função de provedor da casa de saúde. E ele respondeu: - minha ética!  
Vamos, então, analisar a ética do provedor.
Conforme o respectivo contrato social , a ilustríssima senhora prefeita de João Monlevade, Simone Carvalho, é sócia ao lado de cônjuge do provedor, a Sra Cristiane Patrícia Conceição, na empresa Representações Minas Gerais LTDA, que tem como objeto social "representantes comerciais e agente do comércio de mercadorias em geral, prestação de serviços no ramo de imobiliaria, corretagem na compra, venda e locação de imóveis, serviços de despachante imobiliário, de veículos, seguros e de administração de condomínios em geral, com sede na própria residencia do provedor.   
Então, pergunto: será que é, verdadeiramente, ético o sujeito gerir recursos públicos que são repassados ao Hospital por iniciativa e ordem da prefeita que é sócia de sua própria esposa?
Com a palavra o provedor.