Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Orçamento/2011

Errar uma vez é humano. Duas é burrice. O governo Prandini já cometeu um erro descomunal, quando, ao invés de gastar conforme a receita, efetivamente, arrecada, optou por realizar despesas, baseando-se apenas na receita prevista no Orçamento da Prefeitura, que convenhamos, pode ou não ser alcançada. Tal situação levou a administração a uma quebradeira sem precedentes na história do Município, como é de conhecimento de todos. Agora, o governo envia para apreciação da Câmara um Orçamento/2011 com uma receita, visivelmente, superestimada em mais de 20 milhões de reais, em total desarmonia com a Lei de Diretrizes Orçamentárias. Ora, se da primeira vez quebraram a Prefeitura por conta de uma previsão de receita não alcançada em conseqüência da insensibilidade para com a crise financeira global, desta feita, estão colocando novamente a Prefeitura no rumo da bancarrota, fantasiando recursos que serão empenhados, mas que podem não entrar no caixa. Em outras palavras, o Orçamento/2011 traz consigo a mesma fórmula que quebrou a Prefeitura neste segundo ano de gestão Prandini. Só que desta vez a fórmula sai dos bastidores do gabinete para ser institucionalizada por Lei Municipal, a LOA. É a institucionalização da quebradeira!