Na disputa do atual provedor do HM contra a AAHM, quem deve deixar o Hospital?

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

ArcelorMittal Está Entre as Melhores Empresas do Brasil para Trabalhar

Já era de se esperar que, depois da terceira morte ocorrida em pleno processo de expansão da ArcelorMittal, meios de comunicação publicassem matéria visando recompor a imagem da empresa. Mas a Usina parece ser mesmo uma boa empresa para se trabalhar. Pelo menos é o que demonstra o resultado de uma pesquisa realizada entre seus próprios funcionários. E em relação aos cidadãos de João Monlevade? O que o povo pensa sobre a ArcelorMittal? Existe alguma pesquisa a este respeito? A importância econômica da Usina para o Município é inquestionável. A duplicação de sua capacidade produtiva pode representar uma nova era de desenvolvimento para a cidade. No entanto, existem velhos e arcaicos tabus, envolvendo a Usina e Município, que precisam ser quebrados. O principal e mais recorrente deles é a afirmação de que a siderúrgica não precisa da cidade. Ledo engano. Dizer que a Usina não precisa de João Monlevade é o mesmo que dizer que a Usina não precisa de trabalhadores, o que seria um absurdo. Afinal, é em nossa cidade que os empregados da ArcelorMittal vivem, moram, estudam, vão ao médico, se valem do abastecimento de água, fazem compras, convivem uns com os outros e etc. Sem a cidade, a Usina seria inviável. E sem a Usina, Monlevade não seria mais que um arraial. Tanto é assim, que quando a Belgo se instalou aqui na década de 30, Monlevade era um pequeno arraial de Rio Piracicaba, o que obrigou a Usina a construir toda uma cidade em seu entorno. Construiu o Hospital, o Colégio Estadual, o Mercado, a Praça do Cinema, ruas, bairros inteiros como a Vila Tanque, Areia Preta, Contratados, Beira Rio e etc. A verdade é que a Usina precisa do Município tanto quanto ele precisa dela. É necessário que haja parcerias sólidas entre a Usina e o Município.