quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Um Extrato do Diário de Albert Einstein


[...] hoje, pela manhã, estive novamente no centro da cidade. Dei uma volta e vi que tudo parecia como o de sempre. Acertei meu relógio de bolso conforme os ponteiros da Catedral e dirigi me ao ponto da parada do bonde para retornar à tempo para o almoço. Foi, então, que pensei: E se o Bonde que eu pegasse para casa viajasse na velocidade luz?.................................Minha cabeça ferveu! [...]